Seminário debate os desafios da inclusão nas escolas

Compartilhe

O Seminário de Educação Especial Inclusiva e Direitos Humanos é o resultado de uma pesquisa de Mestrado para a Universidad Nacional Três de Febrero de Buenos Aires-Argentina, realizado pela professora Especialista em Educação Especial Inclusiva, Elisângela de Fátima Rizzatto. Ela realizou pesquisa em escolas do RS sobre como está ocorrendo a inclusão dos alunos com deficiências nas escolas regulares e verificou que mais de 80% dos professores não tem formação em como trabalhar com a inclusão dos alunos com deficiências. “Na maioria das vezes a grande resposta dos profissionais de educação foi: ‘Não tenho formação, não sei como trabalhar com o aluno com deficiências junto com os demais alunos ditos ‘normais’”, aponta Elisângela.

A partir desta pesquisa a mestranda iniciou a organização para a realização de um Seminário onde se pode discutir, informar, dialogar e mostrar que a pessoa com deficiência tem muitas eficiências. “Devemos quebrar o preconceito de trabalhar com a criança com deficiência ou mesmo com altas habilidades e transformar uma pesquisa em ação. Queremos ajudar a desmitificar a inclusão”, esclarece.

Neste ano, na terceira edição, a IMED por intermédio do trabalho da professora do curso de psicologia Claudia Furlanetto e do prof. Amilton Rodrigo Quadros Martins, líder do Programa InovaEdu será parceira e irá sediar o evento. O III Seminário de Educação Especial Inclusiva e Direitos Humanos será realizado nos dias 03 a 05 de setembro de 2018. Paralelo ao evento será realizada a I Feira de Tecnologia Assistiva, sendo que o tema deste ano será: O uso da Tecnologia Assistiva Promovendo a Autonomia e Inclusão na Escola e Sociedade. O Seminário tem o apoio das associações APAE, APAS, APACE, AUMA, ACEMUN, Atils, Secretária de Educação de Passo Fundo, 7ª CRE, e os 29 municípios que fazem parte do Arranjo de Desenvolvimento da Educação Norte Gaúcho.

Entre os palestrantes estão a Dra. Maria de Mello, terapeuta Ocupacional, Adilso Luis Pimentel Corlassoli, especialista em educação especial na área de deficiência visual e o Dr. Claudio Luciano Dusik, psicólogo. “É um orgulho para mim ver que uma pesquisa de mestrado se tornou uma ação e mobilização para todos que trabalham com a desmitificação e conceitos de inclusão e o seminário de educação especial inclusiva e Direitos humanos. Hoje, em parceria com a IMED terá um crescimento cada vez maior pois é necessário discutirmos, entendermos, fomentarmos a formação de profissionais de educação e de diversas áreas afins sobre um tema que está presente em todos os setores”, destaca a professora Elisângela.

Para que se construa uma escola em que todos tenham direitos iguais de aprendizagem com um atendimento pedagógico por parte de profissionais da educação que sigam a Lei de Diretrizes de Base da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96) e a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (Decreto nº 6.571/2008) há a necessidade de oferecer subsídios aos educadores/as. Conforme Elisângela só assim será possível constituir práticas promotoras de uma educação de qualidade para todos/as. Isto exige propor referenciais de construção com formações continuadas para os profissionais da educação que possibilitem informação, capacitação e formação para realizar a escola inclusiva na qual se promova a igualdade, o respeito e a dignidade, a autonomia individual e inclusive a liberdade de se desenvolver conforme a capacidade cognitiva própria de cada um/a com o apoio especializado e pedagógico necessário nas escolas regulares. “O seminário dará oportunidade ao profissional de educação e de diversas áreas a ver e desmitificar a visão de pessoas deficientes como pessoas cidadãs que fazem parte de nossa sociedade e que devem ter as mesmas oportunidades de aprender respeitando o seu modo e tempo de aprender”, finaliza a coordenadora.

 

Edições anteriores

O primeiro seminário (2016) aconteceu a partir de uma visão de direitos humanos e do conceito de cidadania fundamentado no reconhecimento das diferenças e na participação dos sujeitos, decorre a identificação de mecanismos e processos de hierarquização que operam na regulação das desigualdades. 

O II Seminário de Educação Especial Inclusiva e Direitos Humanos (2017) a partir do tema: Desafios para a Construção de uma Escola Inclusiva, teve como objetivo divulgar e socializar metodologias pedagógicas do conhecimento da área de Educação Especial/ Educação Inclusiva/diversidade/ direitos humanos, com vistas a fomentar políticas públicas, enriquecer as práticas pedagógicas inclusivas e promover o intercâmbio entre pesquisadores e profissionais da educação e áreas afins.

 

 

Foto: Arquivo/IFIBE


Leia Também Está chegando o grande dia do Carnaval de Rua de Passo Fundo Passo Fundo Shopping promove Carnaval gratuito para toda família Bisneto de Gildo de Freitas lança carreira musical com influências do pop nacional Pulseiras para o Carnaval de Rua 2020 já estão disponíveis