O Canal do Rio Grande

Tradicionalistas elegem o presidente do MTG para 2019

Compartilhe

Acontecerá nesse final de semana em São Borja, no CTG Tropilha Crioula, o 67º Congresso Tradicionalista Gaúcho, evento que ocorre anualmente no segundo final de semana de janeiro e que elege temas importantes para a cultura rio-grandense, além do Conselho Diretor do MTG e consequentemente seu presidente para o ano. Especificamente a eleição acontecerá no sábado à tarde.

Em 2019, atipicamente, duas chapas concorrem à presidência do movimento, fato que há vários anos não ocorria. Ainda: os dois concorrentes pertencem atualmente à direção do movimento. Nairoli Callegaro concorre à reeleição como presidente e a atual vice-presidente de administração e finanças, Elenir Winck, é a outra concorrente.

A campanha deste pleito, em alguns momentos, foi áspera e muitos tradicionalistas chegaram a temer pelo resultado que a disputa poderia oferecer. Há uma clara divisão entre os apoiadores de Nairo e os que apontam Elenir como a futura presidente.

Alguns tradicionalistas chegaram a ser repreendidos pelas postagens em redes sociais, defendendo este ou aquele lado. Um grupo chegou a propor punição do Conselho de Ética da entidade a alguns mais exaltados.

Callegaro busca o seu quarto mandato. Elenir está na direção do movimento há vários anos.

Elenir Winck diz que sua equipe tem 17 objetivos a serem trabalhados. “Pretendemos voltar nosso olhar para as bases, que são as entidades tradicionalistas. Queremos dar especial atenção para elas. Também vamos olhar para as crianças e os jovens. A ideia é fazer um trabalho em parceria com a sociedade, buscando o setor educacional, para trabalharmos juntos. Com isso, podemos integrar o movimento como um todo”.

Se vencer, será a primeira mulher a comandar o MTG.

Nairo Callegaro, que concorre à reeleição, diz que pretende continuar estabelecendo estas mudanças efetivas. Uma delas, que começamos e pretendemos continuar, é a plataforma de mídias e comunicação. Uma das metas para 2019 é fazer as eleições regionalizadas. Queremos que as eleições aconteçam, ao mesmo tempo, nas 30 Regiões Tradicionalistas. O maior congresso do MTG até hoje teve apenas 900 votos, num universo de três mil votos possíveis. Queremos ampliar o departamento jurídico, para que possa auxiliar as entidades, e dar mais oportunidades para a juventude, além de aproximar o MTG dos CTGs e da comunidade.

Na foto, os dois candidatos ao MTG.

Leia Também Cavaleiros representantes de entidades tradicionalistas participam de atividades no parque da Roselândia Gilda Galeazzi projeta ser a primeira mulher a liderar o MTG Vem aí uma festa inesquecível: baile de 37 anos da Rádio Planalto FM 105.9 Innovate Produções traz a Passo Fundo o grupo Tchê Barbaridade